Artigos

Alunos estóicos

Prática #1: Separe o que está sob seu controle do que não está sob seu controle.

Epicteto disse que a preocupação obsessiva costuma ser resultado do estresse por um resultado externo que ainda não aconteceu. Ele argumentou que, em vez disso, deveríamos nos preocupar com assuntos sobre os quais temos total controle. Essa ideia é central para o ensino estóico conhecido como dicotomia de controle. A dicotomia de controle envolve fazer o melhor uso do que está em nosso poder e não nos apegar a resultados externos. É mais fácil falar do que por esse princípio em prática, mas, se praticado, pode ajudar a simplificar nossas prioridades na vida, ao mesmo tempo que nos torna mais serenos.

Se você é um estudante, considere as coisas sobre as quais você tem total controle, como a forma como você enquadra os eventos, como reage a situações difíceis e suas intenções. Visto que coisas como reputação e notas não estão complementamente sob seu controle, essa deve ser a menor de suas preocupações. Priorize a frequência às aulas com a maior frequência possível, fazendo as leituras do curso com cuidado, colocando o máximo de esforço possível em uma determinada tarefa e fazendo uma programação diária que funcione para você. Se você concentrar sua atenção em fatores que estão apenas sob seu controle, terá a melhor chance possível de sucesso.

Prática #2: Premeditar sobre as dificuldades futuras

Uma segunda prática útil é o que Sêneca chama de ‘’premeditation malorum’’, que significa meditar sobre as dificuldades futuras. Essa prática envolve imaginar o que você acredita ser o pior cenário que pode surgir de uma determinada situação e aprender a aceitar o resultado. Por exemplo, se você estiver trabalhando em uma apresentação de seminário, considere a possibilidade de seu público não ser receptivo a suas ideias e perguntas. Esse tipo de pensamento pode parecer pessimista, mas está longe disso. Premeditar as dificuldades não é fixar-se continuamente no que pode dar errado, mas considerar brevemente o que poderia acontecer se isso acontecer e entender que, na maioria dos casos, nosso mundo continuará. Se conseguirmos fazer as pazes com o pior cenário, podemos trabalhar efetivamente para melhorar nossas chances de sucesso.

Acreditamos que haja benefícios significativos em contemplar a possibilidade de você não receber a nota que esperava em um curso ou considerar que pode acabar mudando de programa em algum momento no caminho. A premeditação pode nos ajudar a aliviar a necessidade de chegar a um determinado destino o mais rápido possível (por exemplo, uma carreira após a formatura). Em vez disso, essa prática nos ensina a desacelerar e apreciar a jornada imprevisível da vida.

Prática #3: Tenha uma visão externa

Epicteto diz que quando passamos por algum tipo de infortúnio, devemos imaginar como se a mesma coisa acontecesse a um amigo e considerar o conselho que lhe daríamos. Lembrar a nós mesmos que as dificuldades acontecem a todos é reconfortante e pode nos ajudar a evitar a catastrofização das adversidades que enfrentamos. Uma prática relacionada que Aurelius usa é nos perguntar se é provável que nos sintamos da mesma maneira sobre o problema específico com o qual estamos lidando daqui a 10 ou 20 anos. Se você acha que nem mesmo seria capaz de se lembrar disso, então o assunto pode não mudar tanto quanto você pensa.

 

Os alunos podem se lembrar de que outras pessoas em seu programa encontraram e continuam a encontrar dificuldades semelhantes, como reprovação em uma tarefa, passar a noite inteira ou até mesmo desistir. Saber que outras pessoas passaram por momentos difíceis e se tornaram mais fortes pode nos ajudar a perceber que também podemos fazer isso.

 

Prática #4: Esteja disposto a reformular seus julgamentos de valor

Os estóicos acreditavam que as palavras que usamos para descrever algo afetam a forma como nos sentimos a respeito. Portanto, usar palavras fortes (como horrível, estúpido, etc) quando avaliamos as coisas pode disparar nossas emoções em circulo vicioso. Em vez disso devemos evitar eventos catastrofizantes e, em vez disso, nos ater aos fatos da forma mais precisa e objetiva possível.

Em seu livro ‘’Como pensar como um imperador romano: a filosofia estóica de Marco Aurélio’’, Robertson detalha o estado de fragilidade em que Aurélio se encontrava enquanto governava Roma. Devido a seus problemas crônicos de saúde, o imperador romano passava por uma quantidade extraordinária de dores diariamente e foi levado para a cama perto do fim de sua vida. No entanto, ele não reclamava nem via o desconforto físico como algo ruim. Em vez disso, ele viu isso como uma oportunidade para desenvolver força interna e resiliência. Podemos usar a atitude positiva de Aurelius durante seus últimos dias na terra como motivação. Sua perspectiva nos inspira a considerar o lado bom em qualquer situação que possamos enfrentar.

Se você se deparar com dificuldades na escola, tente usar qualquer um desses lemas de reformulação estóico para ajudá-lo a ver um evento de uma perspectiva diferente.

‘’Não é o que suportamos, mas como o suportamos’’ – Sêneca
‘’Nossa vida é o que nossos pensamentos fazem dela’’ – Marco Aurélio
‘’Sempre que você se encontrar em um buraco, lembre´se de Hércules, que se tornou forte apenas por causa dos desafios que enfrentou’’ – Jonas Salzgeber
‘’A vontade divina existe e dirige o universo com justiça e bondade. Embora nem sempre seja aparente se você apenas olhar para a superfície das coisas, o universo em que habitamos é o melhor universo possível’’ – Epicteto

Prática #5: Siga uma rotina matinal

Aurelius acreditava que uma das melhores horas para olhar para dentro, examinar e refletir é pela manhã. Ele passaria um tempo meditando sobre os desafios potenciais que poderia encontrar no final do dia. Ao contrário de acordar e ir imediatamente para a escola ou para o trabalho, uma rotina matinal permite que você comece o dia na frente. Ter uma rotina matinal permitirá que você alcance uma pequena vitória antes de sair de casa, e essa sensação pode levar a um efeito dominó pelo resto do dia.

Comece a pensar em como é sua rotina matinal atual e se ela precisa ser melhorada. Você se pega correndo para chegar onde quer? Por exemplo, minha rotina matinal consiste em acordar cedo, ler livros de autodesenvolvimento por cerca de trinta minutos, fazer exercícios, tomar banho, meditar e escrever. Também reservamos tempo para o registro no diário, uma prática que Aurelius também valorizava. Se você não tem certeza de por onde começar com o seu diário, comece escrevendo uma coisa pela qual você é grato. Em seguida, escreva sobre como deve ser o seu dia e, ao mesmo tempo, inclua alguns problemas potenciais que podem ocorrer. Por exemplo, você pode considerar a possibilidade de não se sair bem em seu semestre ou de ter um desacordo com os membros do grupo sobre uma ideia de apresentação. Por último, reflita sobre o que você poderia dizer a si mesmo para ajudá-lo a superar essas situações difíceis (você pode revisitar alguns dos lemas de reformulação acima).

Saiba que não estamos tentando ser prescritivos, sugerindo que todas as práticas acima funcionarão para todos os alunos. Qualquer pessoa que esteja lendo esta postagem do blog é livre para descartar conselhos que discordem ou que considerem irrelevantes para sua situação atual. A grande coisa sobre os filósofos estóicos é que eles não consideravam suas palavras doutrinárias e estavam abertos a serem questionados. No entanto, a filosofia estóica moldou nossa visão de mundo para melhor e, em minha opinião, pode ajudar a influenciar outras pessoas, especialmente os alunos que tentam acompanhar as expectativas exigentes colocadas sobre eles por professores, pais e por si próprios. O estoicismo é uma filosofia de vida e deve ser praticado no mundo real, então vá lá e experimente. Como muitos outros antes de você, você pode descobrir que a filosofia do estoicismo, se praticada regularmente, pode trazer mais alegria, serenidade e liberdade para sua vida, mesmo nos momentos mais difíceis.

Deixe um comentário

Conversar agora
1
Vamos conversar!
Olá
Estamos online!