Artigos

Entendendo as Funções de Linguagens na Comunicação

funcoes de linguagens

As funções de linguagem são cruciais para a comunicação humana. Utilizamos variados recursos linguísticos visando uma transmissão efetiva de nossas mensagens. Existem seis categorias fundamentais: emotiva, referencial, conativa, fática, metalinguística, e poética. Estas mediam nossa interação, refletindo a complexidade da comunicação.

Cada função serve a um propósito distinto, adequando-se a diferentes situações comunicativas. Por exemplo, a função emotiva foca em expressar sentimentos do emissor. Em contrapartida, a referencial concentra-se em transmitir informações de maneira precisa. Já a conativa é direcionada ao receptor, com o intuito de persuadir ou instruir. A fática garante a manutenção ou cessação da interação comunicativa. A metalinguística analisa o código linguístico em si. A última, a poética, destaca-se pelo uso criativo e estético da linguagem.

Compreender essas funções enriquece nossa capacidade comunicativa. Isso nos permite entender a fundo a intenção por trás dos textos em nosso cotidiano.

Pontos principais:

  • A linguagem possui seis funções: emotiva, referencial, conativa, fática, metalinguística e poética.
  • Cada função tem um objetivo específico na comunicação.
  • A função emotiva expressa as emoções e sentimentos do emissor.
  • A função referencial transmite informações de forma clara e objetiva.
  • A função conativa busca persuadir ou instruir o receptor.
  • A função fática estabelece ou interrompe a comunicação.
  • A função metalinguística fala sobre o próprio código utilizado na comunicação.
  • A função poética utiliza recursos estéticos da linguagem para transmitir uma mensagem.

Função Emotiva

A função emotiva, conhecida também como função expressiva, destaca-se entre as seis funções da linguagem. Sua principal característica reside na utilização de uma linguagem subjetiva pelo emissor, voltada para a expressão intensa de seus sentimentos e emoções. Tal discurso privilegia a primeira pessoa, ressaltando a perspectiva íntima do emissor.

O propósito fundamental desta função é a transmissão de estados emocionais do emissor, estabelecendo com o receptor uma conexão pessoal e intensa. Em sua aplicação, o emissor visa conquistar a empatia do interlocutor, revelando suas visões e sentimentos de maneira profunda e cativante.

Vários tipos de texto, tais como obras literárias, poesias, músicas e cartas de amor, exemplificam o uso da função emotiva. Por meio da linguagem carregada de subjetividade, estabelece-se um elo emocional entre emissor e receptor, tornando a mensagem compartilhada significativamente mais impactante.

Imagine, por exemplo, uma poesia onde o autor desnuda suas emoções mais genuínas, ou uma carta de amor repleta de paixão. Estes textos exemplificam perfeitamente como a função emotiva pode ser empregada para comunicar sentimentos, promovendo uma ligação emocional profunda com o leitor.

expressão de emoções

Exemplo de utilização da função emotiva:

“Meu coração se enche de júbilo sempre que te vejo. Tua presença, o toque suave, e o lustre em teus olhos significam para mim o próprio paraíso. A felicidade que me envelopa ao teu lado é indescritível. Tu és a claridade que emana em meus dias e a âncora de meu sorriso. O amor que te dedico é infinito, meu bem!”

O emprego da função emotiva revela-se uma estratégia poderosa para a expressão de emoções. Reconhecendo e manejando essa função linguística de forma consciente, pode-se elaborar textos com alto poder de persuasão. Tais textos são capazes de transmitir sensações de modo genuíno, envolvendo o público-alvo de forma inesquecível.

Função Referencial

A função referencial, também denominada como função informativa, visa comunicar informações de modo preciso e direto. Neste contexto, os discursos são elaborados na terceira pessoa, ressaltando a impessoalidade.

O primordial nesta função é o contexto comunicativo e o conteúdo informativo partilhado. Exemplos notórios são observados em materiais didáticos, reportagens e estudos científicos. Nestes, a linguagem empregada serve para elucidar fatos ou dados, caracterizando-se pelo uso denotativo.

Empregando tal função, o objetivo do emissor é partilhar informações com exatidão, entregando ao destinatário um material essencialmente informativo. Este modo de comunicação assegura a transmissão de dados de forma clara, sem incorporar elementos subjetivos.

Conclusão

As funções de linguagem desempenham um papel essencial na nossa comunicação diária. Elas possuem objetivos distintos e são cruciais para uma comunicação eficaz. Compreendendo as diferentes funções, aprimoramos nossas habilidades linguísticas. Isso nos permite transmitir mensagens de maneira clara e impactante.

A função emotiva é destinada à expressão de emoções e sentimentos pessoais. Enquanto isso, a função referencial foca na transmissão de informações objetivas. Por outro lado, a função conativa busca persuadir e instruir o receptor. A função fática é usada para estabelecer e encerrar a comunicação, a função metalinguística analisa a própria linguagem. Finalmente, a função poética emprega recursos estéticos para veicular sua mensagem.

O uso consciente dessas funções nos transforma em comunicadores mais eficientes. Além disso, fomenta um entendimento mútuo aprimorado. Aprimorar a habilidade linguística é vital em diversas esferas da vida. Dominando as funções de linguagem, garantimos a clareza, persuasão e impacto de nossas ideias. Assim, nossas mensagens são compreendidas conforme nosso intento, alcançando eficazmente os objetivos de comunicação.

Links de Fontes

Deixe um comentário

Conversar agora
1
Vamos conversar!
Olá
Estamos online!